[ editar artigo]

Como se tornar professora de inglês

Como se tornar professora de inglês

Considerando que passei por uma transição de carreira ainda cedo (de geóloga à professora de inglês e empreendedora), eu cresci muito rápido como professora. Mas, isso só aconteceu porque me permiti fazer escolhas que desafiavam o que é (ou era) “normal” para mim e para a maioria das pessoas que me cercavam.

Muita gente começa a dar aula de inglês porque precisa de uma grana extra, e não tem nada de errado nisso. Eu mesma, quando pisei numa sala de aula pela primeira vez, há 10 anos, só o fiz porque tinha contas para pagar. O problema é você continuar fazendo uma coisa que não é exatamente o que você gosta de fazer por anos a fio, sem nem tentar se aperfeiçoar naquilo. Naquela época, eu estava no começo da faculdade, estudando algo que não tinha nada a ver com ensino de inglês. Se eu voltasse no tempo e falasse para a Mônica do passado que ela se apaixonaria por ensino e que começaria a empreender como professora, ela nunca acreditaria. Ela nem pararia para ouvir os conselhos que eu tenho para dar, afinal de contas, ela sabia tudo e tinha todas as respostas.

Se você que está lendo esse artigo quer ser professor/a de idiomas, por favor, não seja como a Mônica do passado. Acredita em mim:

Siga a sua intuição

Você não tem nada a provar para ninguém; você não precisa insistir em uma área que não te faz feliz, só porque você sente que o mundo todo está te olhando, esperando pra te ver falhar. Eu tentei por um tempo e a única coisa que ganhei foi uma crise de depressão que durou anos, e um quadro de ansiedade que até hoje me acompanha.

Estude, corte caminho, pense estrategicamente, não pare de estudar.

Se você decidir que quer mesmo seguir no ensino, que é essa a carreira que você quer ter até morrer (ou se aposentar?), faça uma pesquisa e liste todos os cursos que você precisa/quer fazer. Isso vai depender de onde você pensa em chegar em alguns anos, o que certamente vai mudar com o passar do tempo. No começo, eu queria ter todos os certificados da Cambridge e fazer todos os principais Teacher Trainings do mundo. Comecei por uma especialização em ensino de língua inglesa e, quando vi, estava estudando empreendedorismo e marketing digital. O que aconteceu com a Cambridge? Olhando para o caminho que eu trilhei até onde estou hoje, eu percebi que não preciso mais. Em contrapartida, quero estudar gamificação, programação, e outras coisas que vão me ajudar a aperfeiçoar minha metodologia e meu negócio.

Dê aula em várias escolas de idiomas, da pior à menos pior.

Todos nós precisamos começar de algum ponto, e eu acredito, do fundo do coração, que começar na pior situação possível é a melhor coisa que você pode fazer para a sua carreira. Existem escolas boas, existem escolas mais ou menos, existem escolas péssimas, mas não existem escolas perfeitas. É utópico pensar que algum dia, trabalhando em uma escola de idiomas, você vai ganhar o que merece como professor/a. E está tudo bem, os donos das escolas não são malignos e perversos, eles são apenas donos de um negócio que precisa funcionar e dar lucro. Se você sente que merece mais, se você sente que o seu tempo vale mais, que os seus alunos merecem mais, aproveite para ganhar o máximo de experiência que puder e depois vá empreender.

Dê a atenção que os seus alunos merecem.

Seja paciente, tente entender a dificuldade que eles estão te apresentando, e dê o seu máximo para ajudá-los a superar qualquer que seja o problema. Muitas vezes, nós temos que assumir o papel de terapeutas dos nosso alunos. Quando isso acontecer, não se irrite. Conte até dez, se precisar, e pense em quanta gente você já ajudou e ainda vai ajudar. Sorria.

Se você leu até aqui, eu realmente espero que tenha te ajudado, te dado algum insight. Todos sabemos que ser professor/a no Brasil é complicado, ainda mais de idiomas, fora do ensino regular. Mas, se isso é mesmo o que você quer, não desista.

Tem muita gente por aí disposta a ajudar.

Empreende Guria!
Mônica Sanoli
Mônica Sanoli Seguir

Sonserina com lua em Corvinal. Sou escritora, professora de inglês, podcaster, empreendedora e fangirl.

Ler conteúdo completo
Indicados para você